Restart :)

Olá, pessoal!

Bem, este é um post sobre recomeço. Acontece que eu simplesmente me perdi no meio de tudo e acabei deixando este percurso de tentar uma vida mais simples e menos consumista meio de lado e acabei consumindo bastante

giphy

decepcionada

No meio do ano passado eu decidi começar este blog para falar sobre minimalismo, vida simples e etc.. Ainda não me considero minimalista, mas estou tentando viver uma vida menos consumista. Acredito nisso pelo menos. Mas, como eu disse, acabei me envolvendo com tantas outras coisas (desnecessárias) e deixei o blog e a jornada de lado. Mas então, uma luz!

Bem, recentemente conheci por acaso (ou não, já que acho que o blog foi indicado pra mim no insta provavelmente por causa das coisas que já sigo ou vejo rs) o blog da Melody, chamado Repete Roupa. Amei o conteúdo, a Melody, a proposta, a ideia, tudo! Foi incrível como eu me identifiquei com a moça linda!

Pra começar, quando se trata de moda e minimalismo pensamos logo em quantos looks se pode fazer com apenas 6 peças (fica aí a dica para dar uma lida no bafafá da moça do Masterchef, a Melody fez até um post sobre) que geralmente são em cores neutras e tal. Isso definitivamente não combina comigo, se tem uma coisa que eu gosto, essa coisa é COR. Eu amo COR (tanto que é por isso que o nome deste blog é Vida Simples e Colorida). Voltando, eu me identifiquei com a Melody por causa disso: ela é super colorida, eu facilmente usaria todos os looks que ela monta (talvez não com os dinossauros haha), porque eu acho todos lindos!

Bem, de qualquer maneira, preciso agradecer a Melody, ao Instagram, à espionagem do que eu leio e assisto,  rs, porque olhar o blog da Melody me fez lembrar deste blog aqui e do quanto eu estava engajada no começo. Do quanto isso ainda faz sentido sim!

Então, vou tentar retomar com a proposta. Ainda estamos no início do ano, não é? Dá tempo de trazer bastante coisa interessante para cá ainda. Comprei uma porrada de roupa este ano, usei muito o cartão, fiz uns gastos assim beeeem desnecessários mesmo. Vamos maneirar e recomeçar 😀

giphy1

Como viver com menos dinheiro em 4 passos (por Matheus de Souza)

Não, eu não farei um texto falando sobre a frase do nosso então presidente Temer. Hoje quero compartilhar com vocês um texto muito bom que li agora cedinho (como é bom ler algo assim em plena segunda-feira, é pra já motivar começar a semana pensando bem!). O texto é do Matheus de Souza e ali no Contioutra. Segue a leitura, com alguns grifos meus. Espero que aproveitem! Continuar lendo

Sobre jogar fora coisas

Não acho que seria proveitoso fazer mais um post sobre dicas para jogar fora coisas, existem diversos posts no mundo da internet. O mais recente que li foi o do blog da Claire Dumas, o Share for the Future, nesta postagem aqui. A Claire dá umas dicas super legais, e algumas eu já seguia antes mesmo de ter lido a publicação, por puro instinto.

Para começar, eu odeio entulhos, mas vez ou outra começo a entulhar coisas. Acredito que por mais que a gente não goste da bagunça, parece que é natural ao ser humano fazer isso sem nem pensar, acumular coisas e esquecê-las (seja por achar que precisará ou por apego emocional).

Pelo menos 1x por ano eu tento dar uma geral no que tenho. E neste último ano isso ocorreu em virtude de duas mudanças. Conto aqui para vocês agora o que eu aproveitei para fazer neste momento. Continuar lendo

O que aprendi ao unir minha profissão a um sonho de criança

Hoje li um texto muito bonito da Maria Eugenia Mazzonetto que mexeu bastante comigo e com isso em que acreditamos: a possibilidade de viver uma vida mais simples. Viver de maneira simples é muito mais que diminuir gastos, comer coisas menos calóricas e fazer programas mais baratos, é também descobrir-se, encantar-se e dedicar-se àquelas coisas que você esqueceu ou que você não conhece ainda, mas que são maravilhosas e te fazem feliz. Este texto que compartilharei com vocês traz isso tudo e espero que vocês possam compreender o quanto ainda é “complexo” viver de uma maneira simples, porque precisamos abrir mão de muita coisa que é naturalizada em nosso cotidiano, mas, embora complexo, é libertador.

Aproveitem a leitura 🙂 Continuar lendo